Skip links

À Conversa com a terapeuta Inês Fonseca

Osteopatia

Osteopatia é uma abordagem terapêutica que tem como objetivo tratar a disfunção somática, que por sua vez se caracteriza por uma alteração da estrutura e da função de qualquer segmento corporal: músculos, articulações, componente neurológica, componente vascular e linfática, e tecido conjuntivo.

Tem como objetivo a manutenção do equilíbrio do organismo, o tratamento da dor e recuperação da função, bem como a correção postural. A osteopatia atua sobretudo no sistema Neuro-Músculo-Esquelético.

Qual a sua origem?

Esta terapêutica, que tem vindo a ser desenvolvida ao longo do tempo, foi criada por Andrew Taylor Still (1828-1917), um médico americano nascido no estado de Virgínia, nos Estados Unidos.

Tem como base de conhecimentos a anatomia, fisiologia, biomecânica, etc.  e tem como objetivo a recuperação da estrutura e da função de qualquer segmento do organismo, e o tratamento da dor.

Osteopatia e a ATM

William Sutherland foi responsável por estender o conceito osteopático e o tratamento manipulativo osteopático às articulações do crânio. Esta técnica começou a ser ensinada na década de 40.

Para que seja realizado um tratamento osteopático é necessário primeiramente que seja feita a recolha da anamnese, avaliação física do paciente, análise e interpretação de exames complementares de diagnóstico (caso existam), e a elaboração de um diagnóstico osteopático.

Nesse sentido, é redutor indicar um tratamento padrão para este tipo de disfunção embora possam ser indicados traços gerais que devem ser considerados no tratamento da ATM.

As disfunções da articulação temporomandibular relacionam-se com os ossos do crânio, em particular, os temporais.

O tratamento da ATM passa frequentemente pelo tratamento dos músculos envolvidos na mastigação, nomeadamente temporal, masséter, pterigóideos mediais e laterais, bem como o tecido conjuntivo da cabeça e do pescoço.

No tratamento de uma disfunção temporomandibular é necessário avaliar a integridade da coluna cervical, com maior relevância para a coluna cervical alta (C0-C1-C2).

A avaliação do nervo trigémeo é igualmente importante no tratamento desta disfunção.

O tratamento osteopático pode ser útil no tratamento de oclusão dentária, através do tratamento dos tecidos moles envolventes, nomeadamente ao nível dos desequilíbrios do tónus muscular dos músculos da mastigação e no tratamento biomecânico da articulação temporomandibular.

A osteopatia trata também outros sintomas associados a este problema, nomeadamente cefaleias.

Curiosidades e dicas

São muitos os motivos que podem levar a recorrer a tratamentos de osteopatia, tais como:

  • Eliminar situações de dor aguda e crónica;
  • Resolver situações de dor, recorrendo a técnicas inovadoras e eliminando a origem do problema e não apenas o sintoma;
  • Beneficiar de uma abordagem personalizada, tendo em conta as caraterísticas de cada paciente;
  • Obter resultados clínicos, de forma célere e eficaz.

Entre os benefícios da osteopatia estão:

  • Tratar ou evitar situações de dor aguda e crónica;
  • Recuperar a mobilidade e melhorar a vascularização e a funcionalidade do corpo;
  • Melhorar os níveis de qualidade de vida e de saúde;
  • Tornar mais eficazes a execução das atividades diárias, quer profissionais, quer pessoais.

Os tratamentos de osteopatia podem ser realizados em indivíduos de qualquer faixa etária, variando as técnicas usadas em função do caso clínico e das caraterísticas de cada paciente.

Assim, as terapêuticas osteopáticas tanto podem ser realizadas em idosos, como em bebés; em grávidas, como em lactantes.

Conheça melhor a nossa Osteopata

“Ajudar pessoas sempre foi a minha paixão e por esse motivo, desde cedo que a saúde foi a minha escolha.

Formada em Osteopatia com Pós-graduação e Osteopatia Desportiva, trabalho na área da terapia miofascial desde 2011, e em Osteopatia desde 2015.

Posteriormente adicionei ao meu conhecimento um Master em Investigação para as Ciências Biológicas em Saúde, entre outras formações dentro da mesma área.

Pratico atividade física desde que me lembro, e por esse motivo a escolha do Mestrado em Exercício e Bem-estar foi praticamente intuitiva. Este mestrado combina os temas de exercício, nutrição e psicologia, que são ferramentas interessantes para quem tem um curso de saúde. Devo dizer que em termos académicos e profissionais foi extremamente enriquecedor.

O conhecimento aliado à prática é para mim a melhor receita.”

Leave a comment

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência.
Explore
Drag